“Eu tive este problema…” (parte 1)

Pense em um problema que você tem, algo que está incomodando, algo do qual você gostaria de estar livre.

E diga para si mesmo: “Eu tenho este problema”. Diga isso com convicção. Como se sente? É muito provável que a sensação não seja das melhores.

Agora, experimente dizer com convicção: “Eu terei este problema”. Como se sente agora? Ficou melhor ou pior? O que mudou?

Finalmente, diga para si mesmo com convicção: “Eu tive este problema”. Como suas sensações mudam? Qual das 3 afirmações fez você se sentir melhor? E qual delas fez se sentir pior?

Se você me acompanhou até aqui, dizendo realmente as frases que sugeri, deve ter percebido qual a maneira mais produtiva de pensar sobre um problema.

Quando uso o verbo no presente, é como se eu estivesse vivenciando a situação. É real. Estou neste momento com problema.

Quando uso o verbo no futuro, estou antecipando aquilo que ainda não aconteceu. Mas, como digo que terei o problema, estou vivenciando-o de alguma maneira, pré-ocupado, como se diz.

Mas quando uso o verbo no passado, estou dizendo que aquele problema já não faz parte do meu mundo. Eu tive o problema no passado, eu consegui resolvê-lo e agora não tenho mais. Isso tem algumas implicações: eu fui capaz de solucionar o problema e é possível solucionar o problema.

Ah, mas você insiste em dizer “Eu tenho problema e não vou negar. Não vou me enganar…”?

Mas você quer ter esse problema resolvido, espero.

E você provavelmente gostaria de dizer em breve “Eu tive este problema”.
Em breve, com a parte 2 deste artigo você vai entender melhor como isso funciona.

10 respostas para “Eu tive este problema…” (parte 1)

  1. Rosa Cândida Biffi disse:

    Muito bom poder “reprogramar” sua mente eliminando o que incomoda.

  2. Estou fazendo quimioterapia. É fantasioso dizer que tive de fazer quimioterapia, quando eu efetivamente estou no processo, com direito a náuseas, apetite alterado, sono irregular, sentimento de impotência…

  3. Edson disse:

    Grande Mizuji!!!

  4. fatima correa disse:

    mizuji como sempre adorei muito bom .

  5. Maria Aparecida de Souza disse:

    Eu venho negando um sintoma de presença de pólipos no colo do útero e ontem a ginecologista, na consulta me chamou à atenção para o fato.Isso me aborreceu por toda a noite, fazendo eu chorar. Só após eu ler e falar as frases no tempo apropriado já me fez encarar esse fato de uma outra forma.
    Obrigada Mizuji…..isso é luz para eu enchergar os meus cantos escuros…..haahaha

  6. Rosanildes Emilia valette disse:

    fantástico e voce mizuji chega quando mais preciso…

  7. Silvana disse:

    Eis o poder da palavra,,, falar a língua que o cérebro entende e de forma que nos favoreça,,,, amei Mizuji. Parabéns!!

  8. Josylda disse:

    Não tenho tido muito conhecimento das suas explicações, mas pelo pouco que tenho conseguido conectar acredito que funciona mesmo . Espero conhecer melhor o seu aensinamento.
    Josylda.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: